Constelação Familiar Sistêmica

                                                                    É fundamentado na teoria do campo morfogenético descrita pelo cientista Rupert Sheldrake. Baseado nesta teoria, Bert Hellinger criou uma abordagem terapêutica, que se denomina  “Constelação Familiar Sistêmica”, onde estudamos  a interrupção do fluxo do amor na vida dos seres humanos, a partir do contexto do campo morfogenético, que é um sistema integrado com o Universo onde todos estamos interligados a serviço da vida. Assim, interagindo nesse campo, a Constelação Familiar Sistêmica possibilita resolver questões, conflitos, ou o que chamamos de ‘emaranhamentos sistêmicos’  em nossa  arvore genealógica num campo onde espaço/tempo não são um fator tão estranho ao nosso entendimento, sempre no fluir do servir a vida, .

Nesta linha de trabalho compreendemos que tudo e todos fazem parte de um sistema e estão subordinados às Ordens do Amor, ou Linguagens da Alma, constituídas de 3 pilares:

– Pertencimento

– Precedência

– Equilíbrio entre Dar e Receber

Quando uma dessas Ordens é transgredida gera um emaranhamento que, por sua vez, gera uma desordem no sistema seja ele pessoal ou organizacional. A terapia identifica a causa do emaranhamento e busca uma imagem de solução.

Facilitadora no Solar: Cris Scheffer    (Link)